João Botelho

João Botelho

Economista, com graduação na UNICAMP e especialização em Finanças Corporativas pela mesma Universidade. É Especialista em Inteligência de Mercado na INTL FCStone, com foco em açúcar e biocombustíveis.

O que é commodity?

Toda pessoa que trabalha com o mercado de commodities no Brasil encara a pergunta “o que é commodity?” pelo menos uma vez por ano. Talvez mais se for visitar parentes distantes. Depois de um tempo, adotei a seguinte resposta: “são produtos padronizados, sem marca”. Exemplifico que um vinho vai ser muito diferente de uma marca para outra, mas a soja vai ser igual aqui ou na China.

A resposta correta para o que é commodity, contudo, é um pouco mais difícil do que esta. De fato, a padronização é um dos requisitos para que um produto seja considerado uma commodity. Mas há outras. As duas principais é de que sejam produtos amplamente negociados no mercado internacional, ou seja, que exista uma ampla gama de produtores e compradores, e de que não sejam facilmente perecíveis.

Além disso, a maior parte das commodities são matérias-primas, usadas para produção de outras mercadorias, e possuem baixo ou nenhum grau de industrialização. Devido às características citadas, as commodities normalmente possuem cotações internacionais amplamente difundidas e muitas vezes são negociadas em bolsas de mercadorias.

Classificações

Ao longo dos anos, o mercado encontrou várias maneiras de classificar as commodities, entre elas podemos citar:

Por origem:

Agrícolas (soja, milho, açúcar, algodão, biocombustíveis).

Minerais (petróleo, gás natural, minérios).

Industriais (petroquímicos).

Por uso:

Alimentos (soja, milho, açúcar).

Metais (minérios, aço, alumínio).

Energia (petróleo, gás, gasolina, biocombustíveis).

Fibras (pluma de algodão, fibras sintéticas).

Além disso, alguns grupos de commodities passaram por subdivisão. Por exemplo, as commodities agrícolas normalmente são divididas em grãos (soja, milho e trigo), proteínas (carnes, leite e seus derivados) e softs (açúcar, cacau, café, suco de laranja e algodão). Estas últimas são commodities com produção relativamente concentrada, principalmente em regiões tropicais.

Já os metais normalmente são divididos em metais de base (aço, alumínio), usados amplamente na indústria, e metais preciosos (ouro, prata, platina), que são utilizados para produção de joias, para fins industriais específicos e como reserva de valor.

Características do mercado de commodities

Como estas mercadorias são padronizadas e normalmente possuem muitos compradores e vendedores, a principal característica do mercado de commodities é que os preços não são definidos pelas empresas que participação deste, mas sim pela relação entre a oferta e a demanda agregadas. Isso significa que, ao contrário de muitos outros produtos, as empresas que participam do mercado de commodities têm de aceitar os preços que dados pelo mercado, com pouco ou nenhum poder para negociar cotações diferentes deste.

Como os mercados de commodities normalmente são globais, o preço também é determinado internacionalmente, com influência limitada da política de cada país. Mesmo no mercado de petróleo, em que um grupo de grandes exportadores coordena suas ações para afetar os preços, o poder deste grupo é, ainda assim, significativamente constrangido por forças fora de seu controle.

A determinação pelo mercado de cotações internacionais, a padronização e possibilidade de estocagem das commodities também é essencial para permitir a negociação destas mercadorias em bolsas, tanto no mercado à vista como de contratos futuros. Por isso, ao longo dos séculos, surgiram importantes bolsas de mercadorias que são essenciais para o mercado atual de commodities, como as bolsas de Chicago (CBOT), de Nova Iorque (NYMEX e NYBOT) e de Londres (LIFFE e LME).

Volatilidade de preços

Uma importante característica do mercado de commodities agrícolas é a volatilidade gerada pelo clima e pelo ciclo de plantio e colheita. Começando pelo segundo ponto, a oferta destas mercadorias, em geral, se concentra em um período do ano, na época de colheita. Como estes produtos são demandados ao longo de todo o ano, a oferta nos demais meses tem de ser suprida apenas com estoques.

Desta forma, se a produção for menor do que o esperado, ou a demanda superar as expectativas, é comum que ocorra falta de produto no mercado, o que leva a disparada nos preços. Além disso, como a produção agrícola normalmente é intrinsecamente dependente das condições climáticas, é comum que mudanças no tempo afetem de forma dramática os preços destes produtos.

No caso de commodities minerais, a produção não é tão sazonal e o clima não tem impacto tão direto sobre a oferta. Ainda assim, a escassez de reservas e problemas logísticos muitas leves levam a disparidades entre oferta e demanda que levam a fortes variações nos preços. No caso de commodities energéticas, como petróleo e gás natural, ainda há forte relação com o clima devido à grande participação de equipamentos de calefação (ou de ar-condicionado) no consumo de energia de muitos países, principalmente aqueles de clima frio.

Por fim, riscos geopolíticos e o cenário macroeconômico tendem a afetar o mercado de praticamente todas as commodities. Os primeiros tendem a impactar de maneira desproporcional o mercado de commodities devido à concentração da produção e exportação de muitas destas em alguns poucos países e regiões, que nem sempre são os mais estáveis politicamente.

O cenário econômico global, por sua vez, é importantíssimo para as cotações das commodities, por vários motivos. Entre estes, podemos destacar o impacto do nível de atividade sobre a demanda por matérias-primas e a influência do câmbio nos países produtores e consumidores sobre a oferta e demanda por estes produtos.

Porque eu devo aprender sobre o mercado de commodities?

Como indicamos anteriormente, as empresas que compram ou vendem commodities têm pouco ou nenhum controle sobre a cotação destas mercadorias. Por isso, precisam aceitar o preço determinado pelo mercado. Neste sentido, altas e quedas nestes produtos tendem a ter grande impacto sobre a lucratividade das empresas que dependem dos mesmos, seja como fonte de receita ou despesa.

A forma mais básica de proteção contra estas oscilações é a compreensão e acompanhamento do mercado das commodities às quais a empresa está exposta. Com isso, a companhia pode aproveitar melhores momentos para comprar ou vender seus produtos. Além disso, estará mais ciente dos riscos e oportunidades que seu negócio apresenta.

Se a empresa quiser ir mais a fundo, pode procurar formas de contratação de compra e venda que a proteja, mesmo que parcialmente, de oscilações nos preços. Ainda mais relevante, é a possibilidade de operação com instrumentos financeiros, muitos deles negociados em bolsa, que permitem às empresas gerenciar seus riscos nos mercados de grande parte das commodities.

Para adotar estas práticas, entretanto, o mais essencial é que a empresa conheça e esteja antenada às mudanças no mercado das commodities nas quais atua. Isso é o que oferecemos aqui na INTL FCStone, uma gama completa de produtos de inteligência de mercado e gerenciamento de riscos que permite à sua empresa estar informada e buscar a melhor forma de tirar proveito do seu negócio.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Veja também

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente
Carrinho Item removido. Desfazer
  • Sem produtos no carrinho.