Fábio Rezende

Fábio Rezende

Possui graduação em Ciências Econômicas e especialização em Finanças Corporativas pela UNICAMP. Trabalha na divisão de Inteligência de Mercado da INTL FCStone do Brasil desde 2014.

Entregas de fertilizantes para a soja seguem firmes em novembro

Entregas a consumidores finais permaneceram acima das expectativas

Em novembro, cerca de 3,288 milhões de toneladas foram recebidas pelos agricultores brasileiros, 1,6% a mais que no mesmo período do ano passado. É isso que dizem os dados da Associação Nacional para Difusão de Adubos (ANDA). As compras foram lideradas pelos produtores de soja, café e algodão.

No acumulado de 2017, as entregas de produtos fertilizantes somam 32,081 milhões de toneladas, 2,1% a mais que nos onze primeiros meses de 2016. Apesar disso, registra-se em 2017 uma redução da fórmula NPK média, especialmente em conteúdo de nitrogênio, de modo que as entregas de nutrientes NPK em 2017 subiram apenas 0,1% em comparação com o mesmo período do ano passado, para 13,921 milhões de toneladas.

As regiões com plantio tardio da safra de verão de grãos (aquelas onde não há safrinha) foram os destaques do mês: Minas Gerais foi o estado com maior participação nos recebimentos em novembro, tendo somado 535 mil t, ou 16,3% do total nacional. Além da adubação do plantio de grãos, um volume considerável de fertilizantes também foi destinado ao café. As entregas nos estados do MATOPIBA somaram 479 mil t, ou 14,6% do total nacional, alta ano-a- ano de 32,1%. O Mato Grosso e o Paraná registraram quedas de 6,6% e 9,7% nas entregas de fertilizantes em relação a novembro do ano passado, respectivamente, uma vez que nota-se poucas compras antecipadas de fertilizantes para a safra de inverno, diferentemente do ano passado.

De acordo com as estimativas da INTL FCStone, no final de novembro ainda restavam cerca de 35% da área de soja no MAPITO a ser semeada, enquanto que o plantio na Bahia e em Minas Gerais já havia sido praticamente concluído. No Brasil como um todo, cerca de 90% da área de soja e 95% da de milho 1ª safra já se encontrava plantada no começo do mês atual, contra 65% e 80% no início de novembro. Dessa maneira, as entregas de fertilizantes para a safra de verão de grãos devem desacelerar significativamente no restante de dezembro, devendo começar a ganhar maior destaque o café, o algodão e o milho safrinha.

Produção

A ANDA também indicou que a produção brasileira de fosfatados no acumulado de 2017 se encontra 3,6% abaixo do volume registrado no mesmo período do ano passado. Em novembro, a produção de super simples (SSP) recuou 27%, para 314 mil t.

No caso dos nitrogenados, a produção segue impactada pelos cortes de produção nas fábricas de ureia da Petrobras: em novembro, foram produzidas 39 mil t do fertilizante, 50% a menos que em 2016. No acumulado do ano, a produção de ureia, sulfato e nitrato de amônio soma 944 mil t, 32% a menos que em 2016.

Estoques

Segundos as estimativas da INTL FCStone, os estoques de nutrientes NPK no Brasil somavam 2,433 milhões de toneladas no final de novembro, quantidade cerca de 3% acima da média dos últimos três anos para o mês.

A disponibilidade interna de potássio (K2O) segue preocupante, com somente cerca de 578 mil t do nutriente em reservas, ou cerca de 22% abaixo da média. A relação estoque-uso do K2O, índice que estima o quanto da sua demanda anual poderia ser suprida com as atuais reservas, é de 9,8%.

Já os estoques de nitrogênio (N) e fósforo (P2O5) no início do mês atual se encontravam mais supridos, atingindo 956 mil t e 899 mil t, respectivamente, o que representa relações estoque-uso de 21,0% e 17,3%.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Veja também

Dólar em 2020 e o agronegócio

Em evento do Banco de Câmbio da INTL FCStone, o Coordenador de Inteligência de Mercado Vitor Andrioli comentou sobre as perspectivas para…

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente
Cart Item Removed. Undo
  • No products in the cart.