Gabriela Fontanari

Gabriela Fontanari

Graduada em Relações Internacionais pela FACAMP, está concluindo sua bidiplomação em Economia pela mesma instituição. Integra o time da Inteligência de Mercado da INTL FCStone do Brasil desde 2017 nos mercados de Fertilizantes, Algodão e Pecuária.

Furacão Harvey pode causar danos à produção texana

A tempestade tropical Harvey, que se formou nas últimas semanas no Golfo do México, se organizou rapidamente entre a noite de ontem e esta quinta-feira e atingiu força de furacão. De acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), órgão de climatologia do governo americano, a tempestade deve continuar a se intensificar e atingir a costa do Texas na sexta-feira, 25, na categoria de grande furacão — fenômeno meteorológico que sustenta ventos de velocidades a partir de 178 km/h. Além dos fortes ventos, o furacão Harvey deve trazer precipitação intensa sobre faixa que vai do norte do México até o sudoeste da Louisiana e marés de tempestade para boa extensão da costa texana. A porção costeira entre Corpus Christi e Galveston no Texas deve ser a região mais atingida pelas chuvas, com precipitação prevista em torno dos 250 a 380 mm nos próximos três dias. Para regiões isoladas, entre Victoria e Refugio, há previsão de grandes volumes de pluviosidade, na casa dos 700 mm. Essa porção do estado é cortada por diversos rios e tem alta propensão a inundações devido ao relevo mais plano, o que pode resultar em danos aos algodoais que ainda não foram colhidos.

Com a colheita praticamente encerrada nos condados de Cameron e Hidalgo, no vale do Rio Grande, há riscos para os algodoais dos condados costeiros de Nueces e San Patricio até Matagorda e Fort Bend. Essas áreas, no entanto, correspondem a apenas 3,0% da produção de algodão do Texas e não devem ter impacto significativo sobre a produção do estado. A cotonicultura texana é concentrada no Extremo Norte e no Sul das Grandes Planícies, regiões que não estão na área de influência direta do furacão Harvey. As chuvas associadas à tempestade também devem ser intensas sobre o delta do Mississippi, segunda principal região produtora dos Estados Unidos. Considerando que os estados do delta ainda estão em média no início da abertura dos capulhos, com menos de 20% da safra nesse estágio, os riscos também são menores para a produtividade e para a qualidade da pluma. Caso siga a trajetória prevista até o momento, o furacão Harvey deve estagnar ao atingir a costa do Texas por volta da manhã de sábado e perder força. A expectativa é de que o fenômeno meteorológico adentre a região sul e central do estado entre a noite do sábado e a manhã do domingo, porém com a intensidade de uma tempestade tropical.

Histórico

Foram raras as ocasiões nos últimos anos em que a safra do Texas foi prejudicada por uma tempestade da categoria de grande furacão, com os últimos eventos do tipo ocorrendo entre julho e agosto de 1970 (Celia) e em agosto de 1983 (Alicia). Dos exemplos de danos aos algodoais causados por furacões, o mais recente foi registrado na temporada de 1989, quando a tempestade tropical Allison se desviou da costa texana e atingiu cerca de 175 mil hectares de soja e algodão dos estados do delta do Mississippi entre 24 e 27 de junho daquele ano.

Impactos indiretos

Apesar de o histórico e os indícios até agora apontarem para impactos limitados do furacão Harvey sobre a cotonicultura do sudoeste americano, o que deve resultar em um movimento temporário de alta para as cotações da pluma, o mesmo não se pode dizer de outra importante commodity extraída no estado, o petróleo. Grandes furacões ameaçam as operações de extração de petróleo offshore na Costa do Golfo, porém até o momento foram registradas evacuações e paradas pontuais de plataformas, com grande parte dos operadores mantendo suas atividades normais. De acordo com o Departamento de Fiscalização Ambiental e de Segurança (BSEE), órgão do governo americano encarregado de melhorar a relação entre a indústria offshore de energia e o meio ambiente, menos de 10% da produção de petróleo e menos de 1% da produção de gás natural na Costa do Golfo haviam sido interrompidas pelo furacão Harvey.

Os ventos fortes e a possibilidade de alagamentos com a chegada da tempestade sobre o litoral americano podem interromper parte da produção de aproximadamente 5 milhões de barris/dia — capacidade instalada estimada das refinarias localizadas ao longo da costa texana —, o que constitui aproximadamente metade da capacidade de produção da região do PADD 3 (Texas, Louisiana, Arkansas, Alabama, Mississippi e Novo México). Caso esses impactos sejam confirmados, é esperado que as cotações do WTI obtenham algum suporte. Preços mais altos do petróleo tendem a contribuir para as altas de outras commodities, e em especial do algodão, visto que o hidrocarboneto é matéria-prima das fibras sintéticas que competem com a pluma.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Veja também

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente

Relatórios periódicos aprofundados

Produzimos mais de 300 relatórios mensais de acompanhamento dos principais mercados globais de commodities. Veja alguns exemplos:

Para quais mercados você deseja receber notificações?*

Açúcar & EtanolAlgodãoCacauCâmbioEnergiaFertilizantesMilhoSojaTrigoPecuáriaCafé

Como ficou sabendo de nós?*

FacebookLinkedInWhatsAppIndicaçãoGoogleOutrosNewsletter

*Campos obrigatórios