Texto escrito por Carolina Barbosa, jornalista da INTL FCStone responsável pelo relacionamento com a Imprensa.

StoneX estima consumo atenuado de fertilizantes em 2020 de 36,6 mi ton

Número representa avanço anual de 1,0%, motivado pelas aplicações nas lavouras de grãos

 

O avanço do consumo de fertilizantes no Brasil em 2020 deve ser atenuado. Segundo estimativa da StoneX, agricultores nacionais devem consumir 36,6 milhões de toneladas (contra 36,9 milhões de toneladas estimadas anteriormente), o representa avanço de 1,0% em relação ao consolidado em 2019, liderado, principalmente, pela perspectiva de leve incremento nas aplicações nas lavouras de grãos.

A pandemia do Coronavírus instaurou um quadro de incerteza a nível mundial, influenciando as perspectivas de crescimento econômico de importantes consumidores do complexo NPK e insumos”, explica a analista de mercado da StoneX, Gabriela Fontanari.

A conjuntura acarreta na maior volatilidade das cotações das principais commodities, como no caso dos grãos. Do ponto de vista do produtor rural brasileiro, a variação dos preços da soja e milho, por exemplo, foram compensados por uma desvalorização acentuada da taxa de câmbio do Brasil – o dólar comercial chegou à marca recorde de BRL 5,90 em 13 de maio – corroborando para perspectivas ainda favoráveis à aplicação de adubos no segundo semestre.

Em contrapartida, o consumo de fertilizantes por setores nos quais as cotações permanecem em patamares mais baixos pode ser impactado negativamente, considerando o encarecimento dos adubos no mercado interno, em decorrência do “custo dolarizado” dos nutrientes. “A taxa de câmbio brasileira atualmente impede que a queda das cotações internacionais do complexo NPK seja repassada completamente para o âmbito doméstico, chegando a alterar a trajetória dos preços em semanas de desvalorização acentuada da moeda nacional”, avalia a analista Fontanari.

O nível de investimentos em fertilizantes por setores com custos de produção mais acentuados, como o cotonicultor e o sucroenergético pode ser impactado, resultante da atual conjuntura dos preços internacionais das commodities e adubos mais onerosos no mercado interno. No que tange o setor de açúcar e etanol, especificamente, as recentes quedas nos preços internacionais do açúcar foram parcialmente compensadas pela forte apreciação do dólar frente ao real. Contudo, a receita das usinas sofre com a dinâmica do mercado de etanol, marcada por demanda arrefecida e preços baixos.

Diversas incertezas ainda permeiam as perspectivas para o mercado de fertilizantes no segundo semestre. Com a aproximação do período de decisão de plantio para a próxima safra, a disponibilidade de crédito público e privado, o nível de remuneração dos produtores e as relações de troca ganham evidência – e, em 2020, a COVID-19 se coloca como ponto central para determinação dos fundamentos do mercado.

Texto escrito por Carolina Barbosa, jornalista da INTL FCStone responsável pelo relacionamento com a Imprensa.

Essa matéria é uma mera amostra promocional dos conteúdos disponíveis a assinantes através do Portal de Relatórios.

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente

Relatórios de mercado aprofundados

Os especialistas da StoneX produzem mais de 300 relatórios mensais para o acompanhamento dos principais mercados globais de commodities.

Conheça os boletins para acompanhamento dos mercados de Grãos (soja, milho e trigo), FertilizantesAçúcar e Etanol, Algodão, Pecuária, Café, Energia, Cacau e Câmbio.

Para quais mercados você deseja receber notificações?*

Açúcar & EtanolAlgodãoCacauCâmbioEnergiaFertilizantesMilhoSojaTrigoPecuáriaCafé

Como soube de nós?*

FacebookLinkedInWhatsAppIndicaçãoGoogleOutrosNewsletter

*Campos obrigatórios

Carrinho Item removido. Desfazer
  • Sem produtos no carrinho.