Arthur Machado

Arthur Machado

Graduado em Relações Internacionais pela FACAMP e em Management pela ICN Business School. Graduando em Ciências Econômicas pela FACAMP. Integra o time da Inteligência de Mercado da StoneX do Brasil desde 2020 no mercado de Grãos.

Brasil produz milho em três safras por ano

Dentre as culturas produzidas em todo o mundo, o milho ocupa o primeiro lugar. Por ser um cultivo de clima mais quente, sua produção está vinculada às estações de primavera e verão. Contudo, dependendo das condições de clima, também pode ser produzida durante o inverno, como ocorre no Brasil e no México. Apesar da produção de milho se espalhar por muitos países, os Estados Unidos (EUA) e a China respondem por mais de 50% da produção global.

Outros países que também produzem volumes significativos são: Brasil, União Europeia (UE), Argentina e Ucrânia. De acordo com os dados fornecidos pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), no ano safra 2019/20, a produção mundial de milho chegou a 1,05 bilhão de toneladas, com a maior parte do consumo, ou 63,3%, destinada ao segmento de ração animal e 36,7% a outros usos, como biocombustíveis, indústria de alimentos e consumo humano direto.

Apesar de usualmente os maiores produtores de milho também serem os maiores consumidores, o comércio internacional de milho se mostra bastante dinâmico. Hoje, os três principais países exportadores são: EUA, Argentina e Brasil. Na safra 2019/20, estima-se que esses países tenham exportado mais de 117,17 milhões de toneladas, no total. Já entre os principais importadores, podemos citar: UE, Japão, México, Coreia do Sul e Vietnã, responsáveis pela compra de quase 74 milhões de toneladas do cereal.

Como mencionado, o Brasil se destaca como um dos maiores produtores e exportadores mundiais de milho, além de registrar um consumo doméstico elevado. Na produção brasileira, cada vez mais, a safra de inverno (também conhecida como “safrinha”), que ocorre após a colheita da soja, tem ganhado espaço, enquanto o cultivo de verão apresenta tendência de queda. Assim, o Brasil já conta duas safras de milho há bastante tempo, sendo a primeira safra (verão) plantada de setembro a dezembro, e a segunda (inverno), de janeiro a abril.

Calendário de safra | 1ª, 2ª e 3ª safras brasileiras de milho

Fonte: Conab e USDA

Entretanto, desde 2019, Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) tem categorizado parte dos dados sobre a produção nacional de milho em uma terceira safra. Essa safra mais tardia, ocorre, principalmente, nas regiões produtoras dos estados da Bahia, de Sergipe, de Alagoas, de Pernambuco e de Roraima, onde o plantio se estende de abril a junho. Em números absolutos, a 3ª safra alcançou 1,77 milhões de toneladas no ciclo 2019/20, ou apenas 1,73% da produção brasileira, mas tem crescido anualmente. Dentre os estados produtores, os estados da Bahia e de Sergipe destacam-se como os de maior produção, superando 849 mil e 693 mil toneladas de milho, respectivamente.

Produção brasileira de milho | 1ª, 2ª e 3ª safra

Fonte: Conab

Este artigo é um exemplo dos conteúdos disponíveis para assinantes no Portal de Relatórios.

Conheça a plataforma!

Relatórios de Mercado

Mensalmente, os especialistas da StoneX produzem mais de 600 informativos sobre as principais commodities mundiais. Conheça os boletins para acompanhamento dos mercados de Grãos (soja, milho e trigo), FertilizantesAçúcar e Etanol, Algodão, Pecuária, Café, Energia, Óleos Vegetais e Câmbio.

    Quais são seus mercados de interesse?

    Açúcar & EtanolAlgodãoCâmbioEnergiaFertilizantesMilhoSojaTrigoPecuáriaCaféÓleos Vegetais

    Como soube dos boletins de mercado da StoneX?

    FacebookLinkedInInstagramWhatsAppGoogleIndicaçãoOutrosEventosE-mail