Texto escrito por Carolina Barboza, jornalista da INTL FCStone responsável pelo relacionamento com a Imprensa.

Clima mais úmido deve melhorar produção na Mesorregião de Araraquara

A expectativa é de que o incremento médio em 2019/20 seja de quase 20% em relação ao ciclo anterior

 

O clima mais úmido nos últimos meses fez com que a produtividade agrícola se tornasse um dos destaques da Mesorregião de Araraquara, com expectativas de que o incremento médio em 2019/20 seja de quase 20% em relação ao ciclo anterior. Houve indicações, ainda, que alguns fornecedores na região têm conseguido obter rendimentos superiores às 100 t/ha.

+ Leia também: Giro de Safra INTL FCStone tem reportado mix produtivo mais alcooleiro

Assim como observado anteriormente em outros canaviais, o crescimento no TCH tem compensado a menor concentração de açúcares – mesmo que parcialmente. “Neste sentido, é válido destacar que o ATR médio pode apresentar queda anual de 6 pontos, para aproximadamente 125 kg/t. É sempre importante lembrar que os números apresentados representam uma média do que foi repassado por produtores, e os patamares variam de acordo com as condições climáticas, variedades utilizadas e manejo de colheita“, relata o analista de mercado Matheus Costa, que viaja no I Giro de Safra de cana-de-açúcar da INTL FCStone.
Vale ressaltar que a maior incidência da broca-da-cana (Diatraea saccharalis) nas lavouras, praga responsável pela criação de galerias nos colmos. Agentes comentam que o maior teor de água nos meses úmidos e a menor amplitude térmica nas épocas mais frias do ano acabaram intensificando os ataques, uma vez que tais condições permitiram o encurtamento do ciclo de vida do inseto e resultaram no aparecimento de até 6 gerações adicionais.
Sob a ótica da geada, os padrões têm se mostrado similares frente às regiões já visitadas: a maior incidência ocorreu sobre as soqueiras com menor idade, sendo que os efeitos em canaviais mais velhos se mostraram menos frequentes. Ao que parece, mais uma região considera que o fenômeno climático terá impacto bastante limitado, ou até mesmo nulo, sobre os rendimentos da cana.

Texto escrito por Carolina Barboza, jornalista da INTL FCStone responsável pelo relacionamento com a Imprensa.
Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Veja também

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente
Cart Item Removed. Undo
  • No products in the cart.