Luigi Bezzon

Luigi Bezzon

Graduando em Ciências Econômicas pela ESALQ/USP, Luigi Bezzon é analista do time de Inteligência de Mercado da StoneX em Fertilizantes e Óleos Vegetais.

Oferta interna restrita de soja impulsiona as importações em 2020

A expressiva demanda para exportações e o consumo interno neste ano superaram o crescimento da oferta, tornando a importação uma opção necessária

Os resultados da safra de soja nacional em 2020 têm apresentado números expressivos, tanto para a oferta quanto demanda. O ano em que a produção atingiu seu maior volume histórico, estimado em 124,3 milhões de toneladas pela StoneX, chega em suas últimas semanas focado na pauta importadora da oleaginosa e preocupado com o abastecimento interno, ante a aquecida demanda externa e expressivos volumes exportados, principalmente na primeira metade do ano.

Entre os meses de janeiro e novmebro de 2020, as exportações brasileiras de soja totalizaram 82,75 milhões de toneladas, nível 17% acima do registrado no mesmo período de 2019, 70,8 milhões. Nos 11 primeiros meses deste ano, o volume já superou o total exportado no ano passado em 8,6 milhões de toneladas. A demanda em 2020 foi favorecida pelo dólar mais forte frente ao real, tornando a soja brasileira ainda mais competitiva no mercado internacional. Além disso, a recuperação do rebanho suíno chinês, afetado pela peste suína africana desde 2018, retomou a demanda do país pela oleaginosa para produção de ração, além da busca em recompor os estoques, que foram reduzidos em meio à guerra comercial com os EUA (veja mais no link) .

Exportações acumuladas de soja (milhões de toneladas)

No mercado interno a demanda também se mostrou aquecida neste ano, apesar da pandemia, que paralisou diversos serviço no primeiro semestre. Um dos principais destinos internos da soja, o setor de biodiesel superou as expectativas após o impacto inicial da pandemia, registrando vendas ao longo do ano acima da média histórica. Cerca de 75% da matéria prima do biocombustível nacional é composta por óleo de soja, e a recuperação da demanda pelo biodiesel reforçou o consumo.

Vendas de biodiesel no Brasil (mil m³)

Deste modo, mesmo com o crescimento da produção na safra 2019/20, a demanda total tem aumentado em um ritmo ainda maior, resultando em escassez da oleaginosa internamente e reforçando a necessidade importação de soja, principalmente de países vizinhos. Até novembro, o Brasil importou 748 mil toneladas de soja, volume 470% superior ao importado no mesmo período do ano passado. Deste volume internalizado, cerca de 94% teve como origem o Paraguai, com uma pequena parcela vinda do Uruguai e Argentina. A StoneX estima que no ciclo 2019/20, o Brasil possa importar até 1 milhão de toneladas de soja.

Importações acumuladas de soja (mil toneladas)

Diante deste cenário de escassez interna, o governo brasileiro tem atuado visando aumentar a disponibilidade do grão, aliviando a balança e os preços internos, que seguem sustentado pela falta de oferta e com a demanda ainda aquecida. No final de outubro, o governo zerou os impostos de importação do complexo de soja, até 15 de janeiro de 2021, visando estimular a entrada de produtos além do Mercosul e conter a alta nos preços. No entanto, ainda é pouco provável que a medida surte grandes resultados no balanço de entradas, visto a taxa de câmbio pouco favorável, a logística interna cara e as dúvidas sobre a compatibilidade das variedades cultivadas nos EUA com as encontradas em território nacional.

Além desta medida, em meados de novembro, o governo aprovou a utilização de matéria prima importada na fabricação de biodiesel. O programa nacional de biodiesel não prevê o uso de produtos estrangeiros e visa a criação de uma demanda para os produtores familiares locais, através do Selo Combustível Social. No entanto, frente ao aperto na oferta de soja e aos elevados preços internos, a medida surgiu como uma forma de aliviar o setor neste momento.

A expectativa do mercado é que as importações voltem a diminuir com a colheita da próxima safra de soja, que deve ganhar força a partir de fevereiro, normalizando o a oferta interna. Para o próximo ano, por enquanto, a StoneX não espera que o Brasil passará pelo cenário de déficit de soja observado 2020, com possibilidade de estoques mais confortáveis. Com isso, para o ciclo 2020/21, a estimativa é que o Brasil importe cerca de 200 mil toneladas de soja, volume dentro da média histórica.

 

Este artigo é um exemplo dos conteúdos disponíveis para assinantes no Portal de Relatórios.

Conheça a plataforma!

Relatórios de Mercado

Mensalmente, os especialistas da StoneX produzem mais de 600 informativos sobre as principais commodities mundiais. Conheça os boletins para acompanhamento dos mercados de Grãos (soja, milho e trigo), FertilizantesAçúcar e Etanol, Algodão, Pecuária, Café, Energia, Óleos Vegetais e Câmbio.

    Quais são seus mercados de interesse?

    Açúcar & EtanolAlgodãoCâmbioEnergiaFertilizantesMilhoSojaTrigoPecuáriaCaféÓleos Vegetais

    Como soube dos boletins de mercado da StoneX?

    FacebookLinkedInInstagramWhatsAppGoogleIndicaçãoOutrosEventosE-mail