Departamento de Agricultura dos EUA revisa relatório de oferta e demanda

Ajustes para o trigo foram, no geral, modestos

Durante o mês de janeiro, o governo norte-americano esteve fechado, após o orçamento solicitado pelo presidente Trump para a construção do muro no México não ter sido aprovado. Com isso, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (na sigla em inglês, USDA) atrasou a publicação de seus relatórios, cujos dados são muito aguardados pelo mercado. Com o fim desse shutdown, não houve relatório de oferta e demanda do USDA em janeiro, com uma nova atualização sendo divulgada somente em fevereiro.

As estimativas da safra 2018/2019, divulgadas pelo Departamento de Agricultura dos EUA para o trigo pouco se alteraram de dezembro de 2018 para fevereiro desse ano. A área plantada e a área colhida se mantiveram em, respectivamente, 19,34 e 16,02 milhões de hectares. A projeção de produção continuou em 51,7 milhões de toneladas, mais de 16% que a produção da safra 2017/2018 de 43,38 milhões de toneladas.

Os estoques, que já foram estimados em 29,91 milhões de toneladas no começo do ciclo, tiveram seu volume final alterado nas novas estimativas do USDA, passando de 26,71 milhões de toneladas em dezembro para 27,49 milhões de toneladas em fevereiro. Esse aumento dos estoques finais foi consequência da redução do consumo, o qual passou de 31,27 milhões de toneladas em dezembro para 30,29 milhões de toneladas em fevereiro.

Ademais, as exportações norte-americanas de trigo se mantiveram em 27,22 milhões de toneladas, como já indicava o relatório de dezembro, em comparação à 24,52 milhões de toneladas da safra anterior. Em termos de vendas de exportações, segundo últimos dados do USDA, referentes à semana encerrada em 03/01/2019, o volume alcançou 131 mil toneladas (em linha com a média dos últimos três anos). Sobre os trigais de inverno, semeados no final de 2019 e em atual fase de desenvolvimento, a estimativa do USDA para a área semeada é de 12,67 milhões de hectares, menor que o ciclo anterior no qual a área plantada era de 13,15 milhões de hectares.

Quanto às condições climáticas, a cobertura de neve e sua profundidade (vide figuras 3 e 4) estão sendo acompanhadas de perto pois sua insuficiência pode acarretar em perdas para a produção 2019/2020 de trigo de inverno, visto que se o cereal não tiver cobertura de neve e profundidade suficientes para protegê-lo das frentes frias, o winterkill pode ocorrer.

Outro ponto sobre as condições do clima, diz respeito ao alto volume das precipitações. Sobre isso, o comentário do USDA no último relatório de oferta e demanda foi de que se as precipitações continuarem excessivas, os trigais podem ser prejudicados.

Matéria escrita por Isabela Mendes, colaboradora INTL FCStone até abril de 2019.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Veja também

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente
Carrinho Item removido. Desfazer
  • Sem produtos no carrinho.