Centro Ocidental Paranaense antecipa plantio de soja com foco para a ‘safrinha’ de milho

mapa-centro-ocidental-paranaenseProdutores da Mesorregião Centro Ocidental Paranaense (municípios e entornos de Campo Mourão e Goioerê) têm antecipado os trabalhos de semeadura da soja. O ciclo está aproximadamente 10 dias adiantado em relação aos anos anteriores e a estimativa é de que toda a produção seja colhida até o final de janeiro.

Com isso, a ‘safrinha’ do milho poderá ser semeada também no primeiro mês do ano, e as lavouras deverão estar na fase final de enchimento de grãos no período propenso a ocorrência de geadas – a partir de meados de maio – e a perspectiva de produtividade aumenta consideravelmente, já que não traz mais riscos significativos ao rendimento do cereal.

Além da possibilidade de maior rendimento, é provável também que ocorra um aumento de área plantada entre 10-20% de milho na região. No último ciclo, a ‘safrinha’ atingiu cerca de 42% da área ocupada pela soja. “Todos os produtores consultados têm intenção de utilizar o máximo possível da área na safrinha e começaram a se movimentar para a aquisição de insumos a partir da última semana, principalmente motivados pelo bom desenvolvimento da soja até o momento”, revela o Diretor de Inteligência de Mercado da INTL FCStone, Thadeu Silva.

Destaca-se que o início do plantio de soja foi bastante favorável e a condição de umidade do solo até a terceira semana de novembro não será um problema, considerando as boas chuvas previstas até a próxima semana. “A variável mais importante a ser acompanhada é o nível de chuvas no final de novembro e ao longo de dezembro, ressaltando que a antecipação concentrou a totalidade da safra da região em um intervalo de cerca de 3 semanas”, avalia Silva. Além disso, chuvas excessivas em janeiro podem atrasar a colheita prejudicando rendimento da soja e interferindo no calendário de plantio de milho safrinha.

pictures2

Plantio de Soja em área próxima a Campo Mourão, PR, 25/10. Fotografia: Thadeu Silva / INTL FCStone

A totalidade das lavouras já finalizou a emergência e se encontra em estágios iniciais de crescimento vegetativo. A maior parte do plantio foi realizada ao longo do mês de setembro e as áreas mais tardias foram semeadas até a primeira semana de outubro.

“Muitos produtores relataram ter iniciado o plantio por volta de 12 de setembro. As condições são muito boas e as chuvas fortes que ainda estão caindo garantem umidade para boa parte do desenvolvimento até a floração. Por outro lado, há um risco ainda baixo de danos causados pelo excesso de chuvas que deve ser monitorado em vista da previsão de novas precipitações ao longo da próxima quinzena”, alerta.

Em geral, os produtores têm expectativas positivas de produtividade. A boa relação de troca na fase de aquisição de insumos garantiu um investimento em tecnologia superior ao verificado nos últimos anos. Além disso, novas técnicas de manejo introduzidas, sobretudo a terceira safra com culturas forrageiras que garantem uma boa reserva de palhada podem contribuir para o melhor desenvolvimento das lavouras.

Assim como nas demais regiões percorridas pela INTL FCStone, em parceria com a Expedição Safra, a comercialização está atrasada e ainda não chega a 20% da safra prevista. Na safra passada, mais de 30% da produção já havia sido vendida nesse período. Os preços baixos e bom nível de capitalização dos produtores são as principais justificativas.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Veja também

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente
Carrinho Item removido. Desfazer
  • Sem produtos no carrinho.