Desenvolvimento de grãos no Brasil deve consolidar safra cheia

Apesar dos atrasos iniciais no plantio, as perspectivas da safra brasileira de soja têm se mantido favoráveis, o que levou a consultoria INTL FCStone a elevar sua expectativa de produção referente ao ciclo 2017/18 para 111,1 milhões de toneladas, um crescimento de 0,9% em relação ao cálculo anterior (em 110,1 mi ton).

“O clima durante o desenvolvimento da safra foi no geral benéfico, com alguns produtores, inclusive, reportando rendimentos acima dos do ano anterior, apesar de a média esperada estar mais baixa”, escreveu a Analista de Inteligência de Mercado da INTL FCStone, Ana Luiza Lodi, em relatório. Por outro lado, ainda há preocupação com o clima – com destaque para condições mais secas no Rio Grande do Sul e as chuvas no Mato Grosso, que têm resultado em alguns transtornos para a colheita.

Com o aumento da estimativa de produção, o número de exportações também foi ajustado, ficando em 63,5 milhões de toneladas, nível mais baixo que o de 2017, uma vez que a disponibilidade do cereal deve ser menor. Ainda pelo lado da demanda, o aumento da mistura de biodiesel no diesel para 10% deve contribuir para um maior consumo doméstico. Os estoques finais foram estimados em 1,8 milhões de toneladas pela INTL FCStone.

Já a área plantada da oleaginosa não sofreu alterações na revisão do grupo, ficando em 35 milhões de hectares, enquanto o rendimento médio estimado para o Brasil foi de 3,15 para 3,18 toneladas por hectare de soja.

Milho
Perspectivas positivas para a primeira safra de milho também levaram a INTL FCStone a revisar para cima sua estimativa de produção da safra de verão de milho 2017/18, de 23,4 para 23,9 milhões de toneladas, levando a produção total para 87,1 milhões de toneladas.

“Esse aumento decorreu de uma revisão da produtividade. Entretanto, no caso do cereal, as expectativas são de que o clima mais seco do Rio Grande do Sul possa prejudicar o potencial produtivo, com uma produtividade menor que no ciclo anterior”, explica a Analista de Inteligência de Mercado da consultoria, Ana Luiza Lodi.

Com relação à ‘safrinha’, a INTL FCStone não trouxe mudanças em seus cálculos de fevereiro, com a produção projetada em 63,2 milhões de toneladas. “Ainda há muitas dúvidas sobre a segunda safra de milho, cujo plantio está começando. Uma parte importante das lavouras deve acabar sendo semeada fora do melhor período, com os atrasos no plantio da soja e também com as chuvas pesadas que vêm ocorrendo durante a colheita a oleaginosa”, avalia Ana Luiza.

Mesmo com as dúvidas que rondam a safrinha de milho, as perspectivas são de manutenção de um balanço de oferta e demanda confortável, num momento em que a disponibilidade do cereal ao redor do mundo é grande. Os estoques finais da safra 2017/18 estão estimados na casa de 18 milhões de toneladas pela consultoria INTL FCStone.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Veja também

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente

Relatórios periódicos aprofundados

Produzimos mais de 300 relatórios mensais de acompanhamento dos principais mercados globais de commodities. Veja alguns exemplos:

Para quais mercados você deseja receber notificações?*

Açúcar & EtanolAlgodãoCacauCâmbioEnergiaFertilizantesMilhoSojaTrigoPecuáriaCafé

Como ficou sabendo de nós?*

FacebookLinkedInWhatsAppIndicaçãoGoogleOutrosNewsletter

*Campos obrigatórios