Fábio Rezende

Fábio Rezende

Possui graduação em Ciências Econômicas e especialização em Finanças Corporativas pela UNICAMP. Trabalha na divisão de Inteligência de Mercado da INTL FCStone do Brasil desde 2014.

Consumo de gás natural no Brasil avança 16,1% com maior despacho às térmicas

Segundo boletim do Ministério de Minas e Energia (MME), o consumo de gás natural no Brasil avançou em junho, influenciado pelo incremento da demanda para geração termelétrica, superando o consumo do mesmo período do ano passado. O país utilizou 87,8 milhões de metros cúbicos por dia (Mm³/d) na média do mês, alta de 16,1% em relação a junho e de 12,6% em comparação com o ano passado.

Demanda mensal de gás natural no Brasil (Mm³/dia)

Fonte: MME.

Como de costume, a maior parte da variação no consumo de gás no Brasil no mês esteve relacionada à demanda das usinas termelétricas. Foram 34,9 Mm³/d utilizados para esse fim na média de junho, alta mensal de 37,9%. A categoria de consumo também teve forte incremento em relação ao ano passado, de 35,5%.

O menor volume útil médio dos reservatórios das usinas hidrelétricas, principais fontes de eletricidade do Brasil (65%), foi a causa do vertiginoso aumento do consumo de gás natural das térmicas. Mesmo com uma redução anual de 8,5% da geração das hidrelétricas, para 29,8 TWh no mês, a falta de chuvas em diversas regiões do país ainda causou uma baixa no nível dos reservatórios das usinas do Sistema Interligado Nacional (SIN) para 42,8%, contra 43,9% em junho de 2017, ficando abaixo do patamar do ano passado pela primeira vez desde fevereiro e aumentando o despacho das térmicas, que geraram 9,9 TWh de energia no mês, alta anual de 21,3%.

Oferta mensal de gás natural no Brasil (Mm³/dia)

Fonte: MME.

Volume útil médio dos reservatórios do SIN (%)

Fontes: ONS, INTL FCStone.

Este cenário ainda persiste, com a geração hidrelétrica continuando a recuar em julho e agosto, mas sem reverter a tendência declinante do volume útil dos reservatórios. Assim, os próximos boletins do MME devem revelar maiores incrementos no consumo de gás natural para geração elétrica. Esperamos que a demanda de gás para esse fim continue em alta até o final de setembro ou início de outubro, a partir de quando as hidrelétricas devem voltar a ganhar espaço sobre as térmicas.

O consumo industrial de gás natural no Brasil também cresceu em junho, atingindo 41,1 Mm³/d, 5,1% a mais que no mês anterior e maior média mensal desde setembro passado. Em comparação com o ano anterior, contudo, as indústrias apresentaram pelo quarto mês consecutivo, uma redução na demanda de gás, na ordem de 1,6%.

No curto prazo, dois fatores devem causar reduções no consumo industrial de gás natural no Brasil. O primeiro deles, como discutimos anteriormente, será a hibernação das fábricas de fertilizantes nitrogenados da Petrobras no Sergipe e na Bahia, programada para o final de outubro. Na média de 2018, essas plantas consumiram cerca de 2,39 Mm³/d de gás natural, cerca de 6% do consumo industrial total.

Sazonalidade da demanda de gás natural para geração elétrica no Brasil (Mm³/d)

Fonte: MME.

O outro fator são os problemas enfrentados pela Replan durante o mês de agosto. A Refinaria de Paulínia da Petrobras, a maior Brasil, ficou interditada por ordem da ANP, após uma explosão seguida de incêndio numa unidade de craqueamento, entre os dias 24 e 29. A refinaria está retomando sua atividade aos poucos e deve atingir uma taxa operacional de 50% até o dia 5 de setembro. Na média de 2018, a refinaria consumiu 1,87 Mm³/d, cerca de 5% do consumo industrial brasileiro.

Além disso, o baixo dinamismo da economia brasileira deve manter o consumo industrial de gás natural em níveis reduzidos pelo restante do ano. Todavia, apesar do contexto eleitoral conturbado, o mercado continua relativamente otimista para o desempenho da economia em 2019, projetando um crescimento de 2,5% do PIB que, caso se concretize, pode impulsionar a compra do insumo pelas indústrias no longo prazo.

Sazonalidade da demanda industrial de gás natural no Brasil (Mm³/d)

Fonte: MME.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Veja também

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente

Relatórios periódicos aprofundados

Produzimos mais de 300 relatórios mensais de acompanhamento dos principais mercados globais de commodities. Veja alguns exemplos:

Para quais mercados você deseja receber notificações?*

Açúcar & EtanolAlgodãoCacauCâmbioEnergiaFertilizantesMilhoSojaTrigoPecuáriaCafé

Como ficou sabendo de nós?*

FacebookLinkedInWhatsAppIndicaçãoGoogleOutrosNewsletter

*Campos obrigatórios