Gabriela Fontanari

Gabriela Fontanari

Graduada em Relações Internacionais pela FACAMP, está concluindo sua bidiplomação em Economia pela mesma instituição. Integra o time da Inteligência de Mercado da INTL FCStone do Brasil desde 2017 nos mercados de Fertilizantes, Algodão e Pecuária.

Exportações brasileiras de carne bovina recuam ao menor patamar desde 2011

Co-escrito por

Avatar
João Macedo

Paralisação dos caminhoneiros e embargos sobre exportações influenciaram queda

Durante o mês de junho, as exportações brasileiras de carne bovina in natura registraram seu pior desempenho desde janeiro de 2011. O total foi de apenas 54,39 milhões de toneladas embarcadas. A incerteza e instabilidade gerada no setor logístico brasileiro, tanto pela greve dos caminhoneiros quanto pela falta de resolução sobre a fixação de preços mínimos de frete, foram os principais fatores que afetaram negativamente as exportações.

O volume carregado recuou 45,4% no comparativo anual, quando foram exportadas aproximadamente 100 milhões de carne in natura. O total no mês de junho foi o menor desde 2003. Em termos monetários, as exportações totalizaram US$ 278,81 milhões. Os números sinalizam um recuo de 33,5% no comparativo com o ano imediatamente anterior. Além disso, representam o menor valor para o mês desde 2007.

Leia também: Greve de caminhoneiros pode reduzir moagem de cana-de-açúcar

A contração observada nas exportações decorre principalmente das dificuldades de recomposição da produção enfrentadas pelo setor desde a greve dos caminhoneiros, entre o final de maio e início do último mês. A paralisação, em primeiro momento, afetou o fluxo de saída das carnes das câmaras frias dos frigoríficos para os portos. Em seguida, o movimento dificultou o transporte de animais para o abate, levando o setor a um período de estagnação da produção, diminuindo a oferta no mercado interno.

Os acertos ainda pendentes sobre a tabela de fretes também favoreceram uma menor oferta para a nutrição pecuária, que já sofre impactos da elevação dos preços do milho, estes em um patamar 20,5% acima da média dos últimos anos devido ao contexto de quebra da safrinha no MS, GO e PR.

Ademais, o setor exportador brasileiro ainda aguarda uma retomada das compras de carne bovina in natura por parte da Rússia, que já foi a principal importadora da produção nacional, que se encontra com a aquisição de carne embargada desde o final do ano passado.

Exportações mensais de carne bovina in natura

Fonte: SECEX. Elaboração: INTL FCStone.

Evolução contínua das exportações de carne bovina (em mil toneladas)

Fonte: SECEX. Elaboração: INTL FCStone.

Indicador CEPEA para preço do milho no Brasil (R$/saca)

Fonte: Cepea/ESALQ. Elaboração: INTL FCStone.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Veja também

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente

Relatórios periódicos aprofundados

Produzimos mais de 300 relatórios mensais de acompanhamento dos principais mercados globais de commodities. Veja alguns exemplos:

Para quais mercados você deseja receber notificações?*

Açúcar & EtanolAlgodãoCacauCâmbioEnergiaFertilizantesMilhoSojaTrigoPecuáriaCafé

Como ficou sabendo de nós?*

FacebookLinkedInWhatsAppIndicaçãoGoogleOutrosNewsletter

*Campos obrigatórios