Gabriela Fontanari

Gabriela Fontanari

Graduada em Relações Internacionais pela FACAMP, está concluindo sua bidiplomação em Economia pela mesma instituição. Integra o time da Inteligência de Mercado da INTL FCStone do Brasil desde 2017 nos mercados de Fertilizantes, Algodão e Pecuária.

Exportações brasileiras de carne bovina recuam ao menor patamar desde 2011

Co-escrito por

Avatar
João Macedo

Paralisação dos caminhoneiros e embargos sobre exportações influenciaram queda

Durante o mês de junho, as exportações brasileiras de carne bovina in natura registraram seu pior desempenho desde janeiro de 2011. O total foi de apenas 54,39 milhões de toneladas embarcadas. A incerteza e instabilidade gerada no setor logístico brasileiro, tanto pela greve dos caminhoneiros quanto pela falta de resolução sobre a fixação de preços mínimos de frete, foram os principais fatores que afetaram negativamente as exportações.

O volume carregado recuou 45,4% no comparativo anual, quando foram exportadas aproximadamente 100 milhões de carne in natura. O total no mês de junho foi o menor desde 2003. Em termos monetários, as exportações totalizaram US$ 278,81 milhões. Os números sinalizam um recuo de 33,5% no comparativo com o ano imediatamente anterior. Além disso, representam o menor valor para o mês desde 2007.

Leia também: Greve de caminhoneiros pode reduzir moagem de cana-de-açúcar

A contração observada nas exportações decorre principalmente das dificuldades de recomposição da produção enfrentadas pelo setor desde a greve dos caminhoneiros, entre o final de maio e início do último mês. A paralisação, em primeiro momento, afetou o fluxo de saída das carnes das câmaras frias dos frigoríficos para os portos. Em seguida, o movimento dificultou o transporte de animais para o abate, levando o setor a um período de estagnação da produção, diminuindo a oferta no mercado interno.

Os acertos ainda pendentes sobre a tabela de fretes também favoreceram uma menor oferta para a nutrição pecuária, que já sofre impactos da elevação dos preços do milho, estes em um patamar 20,5% acima da média dos últimos anos devido ao contexto de quebra da safrinha no MS, GO e PR.

Ademais, o setor exportador brasileiro ainda aguarda uma retomada das compras de carne bovina in natura por parte da Rússia, que já foi a principal importadora da produção nacional, que se encontra com a aquisição de carne embargada desde o final do ano passado.

Exportações mensais de carne bovina in natura

Fonte: SECEX. Elaboração: INTL FCStone.

Evolução contínua das exportações de carne bovina (em mil toneladas)

Fonte: SECEX. Elaboração: INTL FCStone.

Indicador CEPEA para preço do milho no Brasil (R$/saca)

Fonte: Cepea/ESALQ. Elaboração: INTL FCStone.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Veja também

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente
Carrinho Item removido. Desfazer
  • Sem produtos no carrinho.