Fábio Rezende

Fábio Rezende

Possui graduação em Ciências Econômicas e especialização em Finanças Corporativas pela UNICAMP. Trabalha na divisão de Inteligência de Mercado da INTL FCStone do Brasil desde 2014.

Primeiros dados de processamento indicam quarto trimestre aquecido

A semana antes do início das divulgações dos dados trimestrais de processamento da Europa, América do Norte e Ásia foi marcada pela leve alta nos preços dos contratos futuros. Em Nova York, a tela de março/18 avançou 1,0%, encerrando o pregão de sexta-feira a USD 1914/t. Em Londres, o contrato equivalente fechou a semana a GBP 1380/t, alta de 1,2%. Ao longo dos próximos dias, o mercado estará voltado à divulgação dos dados de processamento de cacau no quarto trimestre de 2017, para que se confirme ou não as expectativas de maior demanda mundial pelas amêndoas.

Já na segunda-feira, dia da redação deste, a Associação Europeia de Cacau (ECA) divulgou os dados relativos às empresas participantes da União Europeia (15 países originais) e Suíça, que representam cerca de 90% da moagem do continente europeu. Foram processadas 353.286 toneladas de amêndoas, volume recorde para o quarto trimestre, e avanço ano-a- ano de 4,4%, superando, assim, a expectativa média do mercado de 3,4% de alta.

Na semana passada, ainda tivemos a divulgação dos dados de três importantes países, Costa do Marfim, Brasil e Malásia. Nessa ordem, os volumes de cacau processados foram de 124 mil t, 60 mil t e 59 mil t, representando avanços de 2,5%, 1,5% e 3,7% no ano, respectivamente. Portanto, os dados até agora têm confirmado as expectativas de um maior processamento, devido às elevadas margens de transformação do cacau em seus produtos intermediários. Enquanto os preços da amêndoa são pressionados pela ampla oferta mundial, a forte procura pelos produtos finais e intermediários de cacau, que pode ser associada ao maior crescimento econômico mundial, mantém os valores desses elevados, e as margens dos processadores em níveis excelentes.

Na quinta-feira, 18/01, após o fechamento do pregão, a Associação de Cacau da Ásia (CAA), e a Associação Nacional dos Confeiteiros dos Estados Unidos (NCA) divulgarão os dados de processamento dos continentes da Ásia e da América do Norte. Para o último, o mercado projeta, de acordo com uma pesquisa realizada pela Reuters, um aumento anual de 1% a 3%. Indicadores macroeconômicos A tendência de alguns indicadores macroeconômicos ganhou intensidade na semana, e pode ter contribuído com a dinâmica do mercado de cacau. Primeiramente, o dólar continuou seu movimento de desvalorização frente às principais moedas do comércio externo. O Dollar Index (DXY), que mede justamente isso, recuou 1,1% para 90,97 pontos no fechamento de sexta, seu menor valor desde o final de 2014. No mesmo período, o euro avançou 1,3% sobre o dólar, atingindo USD 1,219, tornando o cacau importado mais barato no continente europeu, maior
consumidor da commodity.

De maneira correlacionada com o movimento do dólar, as commodities, cujos preços são internacionalmente cotados na moeda americana, estenderam suas altas na semana. O índice CRB avançou 1,4% no período, para 199,29 pontos, seu maior valor desde meados de 2015. Esse indicador é puxado especialmente pelo petróleo, que tem um peso significativo no índice e que registrou fortes ganhos nas últimas semanas.

Os principais fundamentos por trás da dinâmica dos indicadores acima são:
i. Tom mais altista na fala dos representantes do Banco Central Europeu (BCE) quanto à política monetária e desenrolar das negociações para uma saída mais amigável do Reino Unido da União Europeia tem sustentado o euro e a libra esterlina.

ii. Déficit no saldo de oferta e demanda do mercado de petróleo, devido aos cortes de produção dos países da OPEP e Rússia, que seguem firmes no seu acordo de cotas.

A perspectiva para o mercado de petróleo, contudo, é baixista: o atual nível de preço do WTI de USD 64/barril é lucrativo para praticamente todos os produtores de petróleo de xisto nos Estados Unidos, o que já resulta em um aumento do número de perfuratrizes ativas no país. Ao mesmo tempo, o petróleo Brent se aproximando de USD 70/barril deve levar os países da OPEP a aumentar as cotas de produção em sua próxima reunião.

Para o câmbio, o cenário é misto. Enquanto que o maior crescimento econômico europeu e a tendência de alta dos juros do BCE continuam como fatores baixistas, a recente reforma tributária nos Estados Unidos promete trazer uma ampla quantidade de dólares de volta ao país via repatriações de empresas, sendo altista para o valor da divisa americana e para a inflação no país.

Em suma, o atual cenário macroeconômico altista para as cotações do cacau pode estar próximo de sua conclusão.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Veja também

A evolução do consumo mundial de soja

As estimativas apontam para um crescimento acelerado da população mundial nos próximos anos à medida que as condições de vida melhoram devido…

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente
Carrinho Item removido. Desfazer
  • Sem produtos no carrinho.