Gabriela Fontanari

Gabriela Fontanari

Graduada em Relações Internacionais pela FACAMP, está concluindo sua bidiplomação em Economia pela mesma instituição. Integra o time da Inteligência de Mercado da INTL FCStone do Brasil desde 2017 nos mercados de Fertilizantes, Algodão e Pecuária.

Tensões comerciais e Wall Street pressionam cotações

A terça-feira (27) voltou a ser marcada por volatilidade das cotações de algodão em Nova York. Seguindo a abertura em alta dos índices acionários de Wall Street após Donald Trump ter declarado que as conversas realizadas durante cúpula do G7 terem sido muito produtivas, o contrato de Dezembro/19 da pluma chegou a registrar ganhos de 167 pontos (US¢ 59,49/lb).

No entanto, a declaração do porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China de que as negociações comerciais se encontram estagnadas, e reafirmou que o governo do gigante asiático espera que a liderança norte-americana promova um quadro favorável para futuras conversas. Neste sentido, as incertezas orbitando as relações sino-americanas pesaram sobre os mercados.

Em Wall Street, os principais índices acionários encerraram em campo negativo após a curva de rendimentos dos Tesouro dos Estados Unidos apresentar inversão novamente. O arrefecimento do sentimento otimista observado pela manhã atingiu em especial as ações do setor financeiro — estes pressionados, também, pelas incertezas comerciais.

Ao final do pregão, o CTZ9 era cotado a US¢ 57,92/lb, representando um avanço de 0,17% no intradia. A despeito dos encerramentos laterais, a trajetória do vencimento na sessão da segunda-feira (26), rompendo o nível de suporte do curto prazo, levou este último a ser encontrado agora em US¢ 56,59/lb. A resistência, por sua vez, permanece inalterada em US¢ 62,25/lb.

Ainda nos Estados Unidos, a Agência Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA), identificou a formação de uma tempestade tropical ao sudeste de Porto Rico. O fenômeno climático, nomeado Dorian, deve fazer passagem rápida pelo Caribe antes de atingir a costa da Flórida entre os dias 31 de agosto e 1º de setembro (próximo sábado e domingo).

Contudo, não se sabe ainda o volume de chuvas e a intensidade com a qual Dorian chegará aos EUA. Não obstante, a tempestade tropical pode levar maior volume de precipitação ao Sudeste, inclusive a Georgia, segundo maior estado cotonicultor norte-americano, podendo amenizar o quadro de seca registrado em algumas áreas cotonicultoras georgianas.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Veja também

Teste já!

Experimente nossa plataforma de relatórios gratuitamente

Relatórios periódicos aprofundados

Produzimos mais de 300 relatórios mensais de acompanhamento dos principais mercados globais de commodities. Veja alguns exemplos:

Para quais mercados você deseja receber notificações?*

Açúcar & EtanolAlgodãoCacauCâmbioEnergiaFertilizantesMilhoSojaTrigoPecuáriaCafé

Como ficou sabendo de nós?*

FacebookLinkedInWhatsAppIndicaçãoGoogleOutrosNewsletter

*Campos obrigatórios